sexta-feira, 17 de março de 2017

O GATO COMEU OS ROYALTIES DE PETRÓLEO DE PARATY

Segundo o site Portal da Transparência (http://www.portaltransparencia.gov.br/):

Desde jan./2001 a fev. 2017, em 16 anos e 2 meses, a Prefeitura de Paraty recebeu de transferência de Royalties de Petróleo da União a quantia de R$ 665.837.414,19 (média de R$ 3.380.605,74/mês). 

De 2001-2004, no governo Zé Cláudio, foram R$ 9.218.694,94 (média de R$ 192.056,14/mês). 

De 2005-20012, nos dois mandatos do governo Zezé, foram R$  340.912.702,60 (média de 3.551.173,99/mês).

De 2013-2016, mais os meses de jan. e fev./2017, no governo Casé, foram R$ 305.706.116,65 (média de R$ 6.114.122,33/mês).

De jan./2001 a fev. 2017, em 16 anos e 2 meses, a receita de royalties do petróleo aumentou 3.216%.

Pasmem!!! No governo do Casé a média mensal recebida (R$ 6.114.122,33/mês) supera a média mensal de Paraty para os 16 anos e 2 meses em R$ 2.733.516,59/mês. 

Ver gráfico abaixo.

CADÊ O DINHEIRO QUE ESTAVA AQUI??? 


sexta-feira, 3 de março de 2017

QUANTO MENOS EDUCAÇÃO, MELHOR

O nível de escolaridade para exercer cargos em comissão nos poderes Executivo e Legislativo de Paraty/RJ não serve de estímulo para avançar na EDUCAÇÃO. Aliás, quanto menos tempo de educação formal o candidato tiver, melhor. EDUCAÇÃO nunca foi e nunca será parâmetro para a meritocracia no município de Paraty/RJ, pois a mediocridade nivela por baixo e serve de exemplo negativo para todos que buscam o conhecimento.
A culpa, no frigir dos ovos, ainda é do eleitor, não acha???
Conheça abaixo o PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N.º 001/17 que premia a estupidez!

PREFEITURA DE PARATY CONTINUA COM O "NOME SUJO"

Prefeitura Municipal de Paraty continua com o "nome sujo" na praça e impedida de receber recursos federais. Não paga o parcelamento da dívida com o INSS e não divulga no prazo legal os relatórios de transparência exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 
Até quando???

quinta-feira, 2 de março de 2017

PREFEITURA DE PARATY/RJ VIVE EM PLENA PRAGA DE GAFANHOTOS

O paratiense não sabe, mas percebe que está cada dia mais pobre, enquanto o governo está cada vez mais rico. Fato concreto: em 16 anos, do ano 2000 ao ano 2016, a despesa pública per capita aumentou 14 vezes. Percepção que dá luz à realidade: os serviços públicos prestados não melhoraram na mesma proporção e em alguns casos até pioraram. Resultado: ficamos ainda mais pobres, a Prefeitura mais rica, mas muito menos eficiente e eficaz. E muito menos ainda efetiva. Veja a seguir como estamos sob o ataque de uma praga de gafanhotos.