terça-feira, 18 de outubro de 2011

Você conhece o perfil do turista que visita Paraty???

Quem são os turistas que visitam Paraty? O que buscam aqui? De onde são (origem)? Como chegam? Por onde chegam? Quanto tempo levam pra chegar? No que gastam? Onde ficam? Quanto tempo permanecem? Quantos retornam? Como divulgamos pra eles nossos atrativos? Pra onde vão depois daqui?
Os turistas nos procuram mais pelo Centro Histórico, depois pela baía (mar). O centro histórico é o diferencial. Outros atrativos precisam ser mais divulgados para aumentar o tempo de permanência do turista, tais como, trilhas, caminho do ouro, passeios em cachoeirias e alambiques de cachaça, turismo de base comunitária (Quilombo do Campinho, Agrofloresta do Taquari, Vila Caiçara em Tarituba), esportes de aventura (arvorismo, mergulho, caiaques, montain bike, cavalgadas, jeep tour, etc.), gastronomia sustentável, até mesmo um simples passeio de bicicleta.
O perfil geral do turista é superior completo, empresários, funcionários públicos, profissionais de empresas privadas e profissionais autônomos, de SP e RJ (capital), Europeus (franceses, alemãs e ingleses), Argentinos e Americanos. Os estrangeiros preferem a média estação. O público doméstico que nos visita o ano inteiro tem um bom nível de escolaridade e razoável poder aquisitivo e está concentrado nas capitais de SP e RJ. Os estrangeiros fazem a diferença na média estação. Estes públicos pouco concorrem entre si em relação a nossa oferta.
90% vem à Paraty sem utilizar serviços de agências. O público final é maioria absoluta. As agências não vendem Paraty como esperam, apesar de estarem preparadas para isso. O consumo se dá depois que estão aqui.
65% vêm com carro próprio. Poucos utilizam ônibus e transfers privativos e/ou regulares. O aeroporto de Paraty é praticamente privativo. Os carros próprios são os meios principais e sofremos com o trânsito durante os períodos de pico. O sistema viário e de trânsito são parte de uma infraestrutura indispensável ao turismo.
74% têm Paraty como destino principal e depois se deslocam para Ubatuba e Angra dos Reis. Somos destino indutor e principal.
A média de viagem é de 4h30min. O nosso acesso ainda é relativamente demorado. Um aeroporto com voos regulares é prioridade.
Permanecem aqui por 4,82 dias. Acho que a permanência é razoável quando considerado o preço, a demora em chegar e o principal atrativo (centro histórico) ser de fácil contemplação.
54% vêm à Paraty por causa do turismo cultural e 29% para as praias do sono, negra e trindade. A nossa cultura local nos diferencia. A simbiose entre centro histórico e mar é fantástica e precisa ser melhor explorada. A nossa orla da cidade ainda é pouco explorada.
67% ficam em pousadas, 11% em casas de amigos e parentes e 10% camping. Ainda temos um turismo de visitação, apesar da expansão da construção civil rumo a condomínios e casas de veraneio. Vale ressaltar que 11% de casas de amigos e parentes podem ser ainda uma boa notícia, mas o acesso a crédito imobiliário (apesar dos preços dos terrenos) e a massificação de pequenos condomínios podem trazer problemas ao modelo de turismo adotado por nós.
Gastam em média 28% hospedagem, 21% alimentação e 17% transporte. Gasta-se pouco no geral e muito em transporte para chegar até aqui.
Americanos e Franceses são os que gastam mais. A Europa precisa ser destino certo na divulgação da cidade. Campanhas de Marketing na Europa e Estados Unidos podem fazer uma grande diferença na elevação do padrão da demanda.
Os contatos com Paraty são através de: 55% amigos e parentes, 22% internet, 15% TV e 13% revistas. Não divulgamos a cidade na mídia. O boca-a-boca ainda nos favorece. A internet é uma ferramenta poderosa, barata, rápida e deve ser mais utilizada.
43% dos turistas que nos visitam não conheciam Paraty e 20% são assíduos com mais de 10 visitas. Paraty tem uma capacidade de despertar muito interesse dentre todos os demais destinos do Brasil e mundo. A fidelidade deve ser melhor visualizada e explorada. Campanhas de fidelidade ao destino devem ser implementadas.
96% pretendem retornar. O turista só fica sabendo da imensidão de atrações quando já está aqui. Por isso, acredito que a grande maioria (quase totalidade) deseja voltar. Outro fator deve estar relacionado ao poder aquisitivo, o que inviabilizaria sua permanência por mais alguns dias. O turista precisa planejar financeiramente sua visita à Paraty e estar melhor informado sobre os atrativos antes mesmo de viajar.